IDIOMA

 
 
 
Serviços de A a Z
Terça, 17 de novembro de 2015, 17h56 | Tamanho do texto: A- A+

FÓRUM

Estado debate política pública de saúde mental

LORRANA CARVALHO
Assessoria/SES-MT

 

Anderson Acendino/SES-MT
http://www.secom.mt.gov.br//storage/1/webdisco/2015/11/17/374x280/55182f02da7e859fb689f025d5499de2.jpg

Garantir o direito à proteção, assistência e promoção à saúde para pessoas com transtornos mentais, principalmente as crianças e adolescentes. Esse foi o motivo que reuniu cerca de 200 participantes nesta terça-feira (17.11) no “I Fórum Intersetorial de Saúde Mental Infanto Juvenil: desafios e perspectivas para o Estado de Mato Grosso”, promovido pela Secretaria de Estado de Saúde (SES). O encontro foi realizado no auditório Silvio Curvo da Escola de Saúde Pública (ESP) e segue até quinta-feira (19.11).

O Fórum tem como objetivo discutir, de forma resolutiva e intersetorial, a articulação da política de atenção à saúde mental infanto juvenil, identificando as fragilidades que a rede possui e buscando novas propostas para seu fortalecimento. Para tanto, serão desenvolvidos três eixos de discussões que vão abordar a linha de cuidado do transtorno do espectro autista, a atenção psicossocial infanto juvenil e o Fórum Nacional de Saúde Mental Infanto Juvenil.

Para o secretário adjunto de serviços e saúde da SES, Werley Peres, o evento se constitui num momento importante para o fortalecimento da Rede de Atenção Psicossocial (RAPS) no estado. “O debate que vai se estabelecer nesses dias é de fundamental importância para fortalecer e reestruturar a rede de atenção psicossocial no sentido de dar melhor fluxo aos pacientes que são atendidos. Antes de pensarmos o que se deve fazer a mais, precisamos refletir sobre o que podemos fazer com o que já temos e é isso que faremos durante o Fórum”. 

O gestor lembrou o preconceito que ainda existe em relação aos pacientes e de como as gestões anteriores foram omissas com a saúde mental no estado. “Precisamos mudar o cenário que temos hoje da saúde mental no contexto geral, é preciso que unamos forças para manter as políticas públicas e executa-las da melhor maneira possível, tendo sempre como o foco o cidadão, que precisa ser olhado com carinho e afinco”, destacou Peres reafirmando o compromisso que o Governo do Estado em melhorar o atendimento na saúde pública de Mato Grosso.

Enrique Bessoni, apoiador do Ministério da Saúde no grupo da RAPS, avaliou o Fórum uma oportunidade para garantir os direitos dos pacientes com transtorno mental, por meio de parcerias. “Garantir os direitos das crianças e adolescentes é prioridade máxima neste momento no nosso país e construir parcerias com as representações políticas e sociais aqui presentes é mais um passo para a consolidação da rede”, afirmou.

O juiz de direito da 2ª Vara Especializada da Infância e Juventude de Cuiabá, Túlio Duailibi, também fez parte da mesa de abertura do Fórum e solicitou que “uma padronização de um fluxo de atendimento em relação aos adolescentes em conflito com a lei, que tem sido uma demanda recorrente, também seja discutida durante o Fórum” e afirmou ainda que “toda a equipe da infância e juventude está à disposição do evento e da SES para que a assistência e promoção à saúde as pessoas com transtornos mentais sejam garantidas”.

Também participaram da abertura do I Fórum Intersetorial de Saúde Mental Infanto Juvenil o deputado estadual Leonardo Albuquerque, o superintendente de Políticas sobre Drogas da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos, Paulo Roberto Santa, representando a promotoria da Infância e Juventude, a assistente social Raquel Mendes e a diretora da Escola de Saúde Pública, Neuci Cunha.

O encerramento do Fórum acontece no dia 19 de novembro, com a apresentação e aprovação das propostas que serão apresentadas no Fórum Nacional de Saúde Mental Infanto Juvenil.

Saúde

Newsletter
Preencha o formulário abaixo para receber nossos boletins: