IDIOMA

 
 
 
Serviços de A a Z
Quarta, 07 de novembro de 2007, 11h08 | Tamanho do texto: A- A+

SAÚDE

Campanha Mundial de Combate ao Diabetes tem ações do Estado (atualizada)

CAROLINA MIRANDA
Assessoria/SES-MT
Pedro Alves SES/MT
As atividades desse ano promovidas pelo Estado incluem, também, atendimentos nas Unidades Básicas de Saúde

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde de Cuiabá promove atividades de participação na Campanha Mundial de Combate ao Diabetes. Este ano o tema da campanha é “Diabetes em Crianças e Adolescentes” e as atividades acontecem no Dia Mundial do Diabetes, 14 de novembro.

“A data vem sendo utilizada como forma de promover um alerta sobre o aumento da incidência do Diabetes no Estado ( e no mundo) e para divulgar informações e ações que possam melhorar a qualidade de vida da população”, esclareceu a gerente de Promoção e Prevenção das Ações de Assistência a Saúde, da SES, Maria da Penha Ferrer Campos.

Com o objetivo de conscientizar para as principais causas, sintomas, complicações, controle, prevenção, diagnóstico precoce e o tratamento correto do diabetes a SES realiza, na campanha desse ano, um seminário sobre o Diabetes. O evento acontece no plenarinho da Câmara Municipal de Cuiabá e é dirigido a cerca de 150 Agentes Comunitários de Saúde. “Além desse seminário, que acontecerá aqui na Capital, os municípios do Estado foram orientados para desencadear atividades alusivas a data de acordo com a realidade de cada região”, esclareceu Maria da Penha.

Maria da Penha informou também que a SES, em parceria com o a Secretaria Municipal de Saúde de Cuiabá, procurou uma forma diferente de atrair a população sobre o diabetes. Durante todo o dia 14 de novembro, as Unidades Básicas de Saúde estarão realizando o teste de glicemia capilar para triagem de novos casos e encaminhamento para confirmação diagnóstica e tratamento. “Muitas pessoas, não seguem as orientações fornecidas e não buscam pelo tratamento especializado. Já numa unidade de saúde, assim que notificado, o paciente é encaminhado para o profissional, disse Maria da Penha. “A diabetes não tem cura, mas com o tratamento correto, a pessoa garante qualidade de vida”, informou Penha.

Casos registrados do diabetes tipo 1 chegaram, até outubro, a 1.843 notificações. Dessas 848 são do sexo masculino e 995 do sexo feminino. O Diabetes tipo 2, no mesmo período, apresentou um total de 4.047 de notificações sendo 1.898 do sexo masculino e 2.149 do sexo feminino.

Segundo a gerente, grande parte da população é portadora da doença e não sabe. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS) cerca de 8% da população sofre com o problema da diabetes e cerca de 50% dessas pessoas desconhecem que tem a doença. O fator hereditário, aliado à obesidade, estresse, sedentarismo e alimentação inadequada são elementos que contribuem para a manifestação da doença.

Essas campanhas de divulgação sobre os perigos do Diabetes acontecem anualmente devido a sua alta prevalência na população adulta, o seu curso pouco sintomático, caráter incurável e o alto grau de incapacidades e mortes prematuras. “Trabalhamos com o foco voltado para a prevenção e o diagnóstico precoce. A detecção, tratamento e controle adequados, em fase precoce, são intervenções capazes de mudar o quadro clínico do paciente, retardar ou até mesmo prevenir o aparecimento de complicações”, destacou a gerente.

DADOS - De acordo com dados repassados pelo Sistema de Informação de Hipertensão Arterial e Diabetes Mellittus (Sishiperdia) números parciais de 1999 a outubro de 2007 registram um total de 35.125 diabéticos entre a população com faixa etária de 15 a 80 anos ou mais (dados acumulativos). A população atual de Mato Grosso está em torno de 2.910.267 pessoas. A população com idade acima de 40 anos está estimada em 652.802. O Ministério da Saúde estima que 11% da população é diabética. No caso de Mato Grosso o número estimado chega a quase 72.000 pessoas portadoras da doença. “Por isso a necessidade dessas campanhas e da rotina diária de trabalho das equipes especializadas para o repasse correto das informações para posterior tratamento e prevenção de toda população”, ressaltou a gerente.

TIPOS - O diabetes tipo 1 é uma doença auto-imune, caracterizada pela destruição das células do pâncreas, produtoras de insulina. Conseqüentemente, pessoas com o tipo 1 da doença produzem muito pouca ou nenhuma insulina e precisam fazer a reposição medicamentosa. O diabetes tipo 1, já foi chamado de diabetes juvenil, por ser mais diagnosticado em crianças e adolescentes.

Devido ao aumento dos casos de obesidade, vêm sendo registrados casos de diabetes tipo 2 em crianças e adolescentes. Neste tipo, a característica principal é a resistência a insulina. Em geral, o diabetes tipo 2 é controlado com dieta e exercícios físicos. No entanto, em alguns casos, medicação oral e até mesmo insulina são necessárias.

PREVENÇÃO - Um dos meios de prevenir o diabetes é fazer exercícios físicos e manter o peso e a prática de uma alimentação saudável. Com apenas essas medidas o risco de se tornar diabético é reduzido em 50%. Os testes de taxa de glicose poderão ser realizados em qualquer Unidade de Saúde ou no Programa de Saúde da Família (PSF) e é um direito do usuário do SUS garantido pela Lei nº. 11.347. “A Secretaria desenvolve capacitações para médicos e enfermeiros, para que os mesmos possam dar diagnósticos e tratamento ao cidadão que necessite do atendimento” disse Maria da Penha.

SINTOMAS - Sede intensa, fome intensa, perda de peso (mesmo sentindo fome além do habitual), cansaço inexplicável, aumento do volume urinário, cicatrização difícil e infecções na pele, fadiga, dores nas pernas, além de impotência sexual e problemas na visão. Histórico familiar com diabetes faz com que haja mais probabilidades de a pessoa manifestar a doença.

Na diabetes tipo dois, em alguns casos, não há sintomas. “Neste caso a pessoa pode passar meses ou até anos sem sentir qualquer sinal da doença. Portanto, é importante pesquisar diabetes em todas as pessoas com mais de quarenta anos de idade”, concluiu Maria da Penha.

PROGRAMAÇÃO DO SEMINÁRIO:

08h- Abertura

08h30- Dinâmica- Convivência

09h- Palestra- Diabetes em crianças e adolescentes
Luciana Abílio Miguel Diniz- Endocrinologista do Cermac

09h30- Debate

09h45- Coffee Break

10h- Apresentação: Rap do Diabético

10h15- Palestra- Importância da Alimentação Saudável para prevenção e controle do diabetes
Maria da Penha Ferrer de Campos- Gerente de Promoção e Prevenção das Ações de Assistência a Saúde

10h45- Debate

11h- Apresentação teatral: Prevenir é o melhor remédio

11h15- Almoço

13h- Dinâmica Educativa

13h15- Palestra- Contextualização do diabetes no município de Cuiabá- Referência e Contra-Referência
Silmayre Helena Silva- Técnica do programa municipal de doenças e agravos não transmissíveis

13h45- Recomendações e orientações em programas de atividade física no diabetes
Valdecarlos José dos Santos- Educador Físico

14h15- Apresentação de Ginástica Aeróbica

14h30- Dramatização- Com o pé que anda

14h45- Apresentação Rap- É para lá que vamos!

15h- Dramatização- Quem somos?

15h15- Apresentação Rap- Hoje é a festa!

15h30- Coffee Break

16h- Dramatização- E agora?

16h30- Encerramento

Saúde

Newsletter
Preencha o formulário abaixo para receber nossos boletins: