IDIOMA

 
 
 
Serviços de A a Z
Quinta, 26 de novembro de 2015, 14h59 | Tamanho do texto: A- A+

SUMMIT AGRONEGÓCIO

Fávaro apresenta plano para superar desafio logístico em MT

Vice-govenador participou de evento organizado pelo Estadão, em São Paulo

THIAGO ANDRADE/DURCY ARÉVALO
Redação/Gcom-MT

Marcelo Pereira - São Paulo
http://www.mt.gov.br//storage/1/webdisco/2015/11/26/274x176/32774b16ac85d377a54e0ebc53bd6bf8.jpg

O vice-governador Carlos Fávaro, apresentou nesta quinta-feira (26.11), durante o Summit Agronegócio Brasil 2015, em São Paulo, os desafios da logística em Mato Grosso e o plano do Estado para superar as dificuldades de escoar seus produtos. Fávaro destacou também o potencial produtivo de Mato Grosso.

No evento organizado pelo jornal O Estado de São Paulo, Fávaro afirmou que um novo modelo de gestão, novas fontes de recursos, parcerias e concessões e a viabilização de eixos logísticos são tratados como a solução para o problema logístico enfrentado pelo Estado.

Fávaro lembrou que apenas cinco estradas de Mato Grosso foram concedidas à iniciativa privada e ressaltou o compromisso da gestão em dar qualidade a logística do Estado. Também falou da necessidade de ampliar a malha ferroviária com investimentos privados, em sua maioria. “Temos que ter a ampliação da Ferronorte, fazer a Ferrogrão e a Ferrovia de Integração do Centro-Oeste (Fico), elas são fundamentais e só sairão do papel com investimentos da iniciativa privada”, avaliou.

Durante sua fala no evento, o vice-governador destacou os surpreendentes números da economia de Mato Grosso. Um dos poucos estados que terá crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) neste ano, Mato Grosso é o maior produtor de soja, milho, algodão, milho de pipoca, girassol, pescado de água doce e carne bovina do país, segundo dados do Imea, IBGE e Conab.

Ele ainda afirmou que a produção cresce em ritmo acelerado, mais de 11% ao ano. O estado usa apenas 9,51 milhões de hectares e outros 16,50 milhões possuem potencial para a produção.

Apesar dos números surpreendentes de produção, o Estado consegue manter 61,92% do seu território preservado, cerca de 55,94 milhões de hectares. “Podemos fazer a integração lavoura-pecuária e consolidar esse crescimento sem derrubar um pé de árvore”, garantiu.

Para Fávaro, Mato Grosso poderia crescer ainda mais se tivesse uma logística adequada ao tamanho de sua produção. O vice-governador ressaltou que esse é o principal objetivo, uma vez que Mato Grosso tem uma das menores malhas rodoviárias do país, perdendo apenas para os estados do Amazonas, Amapá, Pará, Roraima e Acre.

Painel

Participaram do painel com Fávaro, o presidente do conselho da Cosan, Rubens Ometto; o CEO da Cosan, Marcos Luiz e o diretor-presidente da JSL Logística, Fernando Antonio Simões.

Ometto afirmou que o Brasil consegue se diferenciar de outros países em quantidade de produção, mas perde muito em logística, o que trava os bons preços dos produtos in natura brasileiros. “O Brasil ganha muito no campo, mas perde na logística”, avaliou.

Fernando Simões falou sobre a necessidade de estudar previamente a logística para atender a expectativa dos clientes e também ressaltou a necessidade de parar de olhar o transporte rodoviário como o vilão da logística. “Não há gargalo logístico que segure o desenvolvimento e a inovação da iniciativa privada brasileira. As nossas adversidades logísticas criaram profissionais comandantes capazes de buscar soluções, qualquer que seja o desafio", comentou.

Marcos Luiz encerrou o painel destacando que, apesar da importância, a logística ainda é neglicenciada pelos governos, lembrando que nos últimos anos, a União investiu R$ 1,7 bilhão em ferrovia, enquanto a iniciativa privada bancou outros R$ 44 bilhões.

Newsletter
Preencha o formulário abaixo para receber nossos boletins: