IDIOMA

 
 
 
Serviços de A a Z
Quarta, 25 de novembro de 2015, 15h47 | Tamanho do texto: A- A+

PARALIMPÍADAS ESCOLARES

Mato Grosso conquista medalha de bronze no primeiro dia de competição

VIVIANE SAGGIN
Assessoria/Seduc-MT

 

Assessoria/Seduc-MT
http://www.secom.mt.gov.br//storage/1/webdisco/2015/11/25/374x280/43182bfd427d7c9a92be6a487d615b58.jpg

Natal, RN - Maria Lucilene França, 15 anos, estudante da Escola Estadual Papa João Paulo II e da APAE de Itaúba (570 km de Cuiabá), conquistou a primeira medalha para Mato Grosso na edição 2015 das Paralimpíadas Escolares, que ocorrem em Natal (RN). Abrindo as competições, nesta quarta-feira (25.11), a atleta ficou com o bronze na prova de atletismo nos 1.500 metros, realizada no campus da Universidade Federal do Rio Grande no Norte.

Maria - que gosta de ser chamada de Raquel - é a atual campeã estadual na categoria T20 (classificação para atletas com deficiência intelectual) em provas de 800 metros, mas nos Escolares participa das provas de 100 e 400 metros, além da de 1.500 metros disputada hoje, e tem grandes chances de novas medalhas, segundo o professor de educação física que a acompanha, Paulo Salomão.

A atleta estuda na escola regular, mas diz que gosta mais de frequentar a Sala de Recursos da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE), onde também conheceu e se interessou pelo esporte. “Estou feliz por participar das Paralimpíadas, conhecer outros lugares e por ganhar a medalha”, disse, a estudante, que também foi a escolhida para carregar a bandeira de Mato Grosso na cerimônia de abertura do evento.

Para o professor, ela e outros atletas como Gleise Elen Chafrão, também de Itaúba, que está na competição pela modalidade do judô, estão felizes pela vivência no evento, onde podem conviver com tantas outras pessoas iguais a elas e até com graus de deficiência maiores. “Muitas vezes são discriminados pela sociedade, e desmotivados pela sua própria condição existencial, mas têm nas competições paraolímpicas uma oportunidade para elevar sua autoestima, direta ou indiretamente, além de provar para todos o seu valor como atleta e cidadão”, ressalta.

A atuação dos jovens para-atletas é, sobretudo, exemplo para outros que vivem estigmatizados por suas deficiências físicas e mentais e sem perspectivas em suas casas. Mesmo quem não aspira ser atleta, pelo menos pode encontrar inspiração e coragem, se identificando com aqueles que superaram as inúmeras dificuldades com persistência e dedicação por algum esporte.

Competições

A técnica de atletismo da delegação mato-grossense, Maira Regina de Arruda, explica que pelo regulamento do evento participam das provas meninos e meninas nascidos de 1998 a 2001, de acordo com a classificação funcional, oftalmológica e intelectual. “Nossa equipe é composta por quatro atletas, que competem nos 100, 400 e 1.500 metros e no arremesso de peso”, informa, destacando que as provas ocorrem sempre no período da manhã, até sexta-feira (27.11).

Nesta quarta, competiram ainda os alunos Matheus Santana da Cruz no arremesso de peso, que ficou em 8º lugar; e Alyson Souza Nunes nos 100 metros rasos - chegou em 4º lugar, mas aguarda contagem de tempo e divulgação da classificação geral pela organização. A para-atleta Alexssandra Guimarães compete nos 100 e 400 metros e no arremesso de peso nos próximos dias.

Paralimpíadas

Neste ano, as Paralimpíadas Escolares reúnem mais de 700 atletas de 12 a 17 anos representando 24 estados, o Distrito Federal e o Reino Unido nas disputas em oito modalidades: atletismo, natação, bocha, goalball, judô, tênis de mesa, tênis em cadeira de rodas e futebol de 7. Mato Grosso está representado por onze atleta, em cinco modalidades.

O evento é organizado pelo Comitê Paralímpico Brasileiro desde 2006 e têm como objetivo fortalecer o esporte aos para-atletas desde sua base. Desta forma, os melhores colocados de cada modalidade, gênero e classe ainda serão contemplados pelo Bolsa Atleta de nível escolar.

Newsletter
Preencha o formulário abaixo para receber nossos boletins: