IDIOMA

 
 
 
Serviços de A a Z
Quarta, 25 de novembro de 2015, 10h10 | Tamanho do texto: A- A+

DIA DO DOADOR

Sefaz contribui com 3.085 bolsas de sangue em 10 anos

MARINHA SOARES
Assessoria/Sefaz-MT

Nesta quarta-feira, 25 de novembro, quando se comemora o Dia Nacional do Doador de Sangue, a Secretaria de Fazenda de Mato Grosso (Sefaz-MT) realiza a última campanha de doação de sangue de 2015. Desde o início desse trabalho, há dez anos, os servidores fazendários já contribuíram com mais de 3.085 bolsas de sangue, que abasteceram as unidades de saúde de Cuiabá e região. É a secretaria que mais realiza campanhas nesse sentido dentre todas as unidades do Estado, porque tem uma unidade dedicada a garantir a regularidade dessa ação, a Gerência de Saúde no Trabalho e Qualidade de Vida (GQV).

A GQV trabalha em parceria com os três bancos de sangue de Mato Grosso: MT Hemocentro, IHEMCO e Hemosan. A finalidade do trabalho da gerência é, além de estimular a doação com regularidade, facilitar o acesso do doador, de maneira a atender a sociedade em geral e também aos servidores e seus familiares, em caso de necessidade. A responsável pela ação, Hilvanete Suares, conta que campanha começou em 2006 com números tímidos, com a coleta de apenas 59 bolsas, e agora fecha 2015 superando a marca de 600 bolsas arrecadadas/ano.

Hilvanete explica que as coletas acontecem a cada três meses, seguindo as definições sobre intervalo entre as doações descritas no artigo 37 da Portaria Nº 2.712/2013, do Ministério da Saúde. Essa portaria alterou também algumas práticas em relação à doação de sangue, tornando obrigatória a realização de teste NAT, que permite maior rapidez na identificação dos vírus HIV (AIDS) e HCV (Hepatite tipo C) no sangue de doadores. Hoje, esse teste também é incorporado ao questionário que tem padrão internacional e é uma forma de excluir potenciais doadores que possam transmitir doenças de risco.

Nesses anos de campanha, a Sefaz-MT também promoveu palestras sobre o tema, desfazendo mitos e sanando dúvidas dos servidores que já são doadores e dos que pretendem começar a doar. Dentre esses mitos estão afirmações de que quem doa sangue uma vez tem que continuar doando pelo resto da vida; de que a doação faz o sangue engrossar; entope veias ou faz o sangue afinar, provocando anemia; emagrece; engorda; vicia; ou até mesmo de que o doador corre risco de contaminação.

A campanha ganha novos adeptos à medida que seus objetivos são alcançados, em especial quando algum servidor ou familiar necessita de transfusão. Nesses momentos, a equipe de assistentes sociais da GQV entra em ação e intercede para atender em curto tempo a demanda.

Muitas pessoas foram beneficiadas por esta parceria do bem e receberam o atendimento necessário, como recentemente a servidora Telma Nunes Pereira, da Superintendência de Gestão de Programação Financeira e Relacionamento do Tesouro (SPFR), que precisou de auxílio para sua tia, Maria Nunes, que passou por uma cirurgia cardíaca. “Ela fez essa cirurgia de emergência e o hospital solicitou a doação de sangue. Entrei em contato com a GQV e fui muito bem atendida. Quando passamos por uma situação como essa ficamos meio desorientados, recebemos a atenção necessária e graças a Deus ficou tudo bem. Essa campanha que a Sefaz promove é maravilhosa, não só para o servidor, mas para seus familiares e amigos”, conta Telma.

Em fevereiro deste ano o servidor Gabriel Bernard de Souza, da Gerência de Aplicação (GAP), também estava com seu tio, Antonio Pereira de Souza Filho, internado com leucemia e necessitando de reposição de plaquetas. Na época, por estar trabalhando como estagiário, Gabriel acreditou que não poderia ser atendido pela campanha, mas se enganou. Orientado por seus colegas, procurou a GQV e foi atendido de imediato “Expliquei que meu tio precisava de uma grande quantidade de sangue e havia o risco de uma hemorragia cerebral. O pessoal da GQV fez um excelente acompanhamento, o que deu um bom prazo de sobrevida ao meu tio. Infelizmente em abril ele faleceu, mas somos gratos ao apoio da GQV e de todos os servidores que praticam este nobre gesto de doar sangue”, diz.

A secretária adjunta Executiva, Maria Célia de Oliveira Pereira, conta que foi motivada a doar ao ver o entusiasmo de muitos servidores em participar das campanhas. “Sempre vejo os servidores mobilizados e acho muito bonito este gesto de solidariedade. É importante ver a alegria com que chegam para doar. Refleti e percebi que deveria participar mais”, diz. Há cinco anos, Antonio Donizeti Pereira, marido de Maria Célia, sofreu um acidente doméstico e precisou receber sangue. Neste momento a parceria da Sefaz com os bancos de sangue conveniados foi de extrema importância e a família foi atendida com a quantidade de bolsas necessárias para sua recuperação.

Newsletter
Preencha o formulário abaixo para receber nossos boletins: